Artigos recentes

Navigation

Trabalhando com profissões aliando Informática e Matemática

Sugestão de aulas que relacionam a resolução de problemas, com auxílio de recursos tecnológicos.
O plano de aula a seguir foi elabora para uma atividade proposta no curso de Mídias na Educação.

Trabalhando com profissões aliando Informática e Matemática

Tema

Para conhecer um pouco mais da matemática no cotidiano, serão organizadas situações problemas envolvendo algumas das profissões mais próximas aos alunos no município de Uruana: pedreiro (medidas, proporcionalidade), comerciante (porcentagem, lucros), agricultor (rentabilidade, produtividade) e professor (média aritmética, média ponderada, somatória), e nestas profissões serão tratados os conteúdos citados, além, do planejamento e da organização. 

Público

O tema permite trabalhar várias etapas/séries, mas esta atividade se direciona aos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental.

Justificativa 

É preciso a cada instante estar mais próximo da realidade que vivem os alunos, e atrelar essa realidade com recursos midiáticos, fará com que a aprendizagem em matemática torne-se mais atrativa aos alunos que de algum modo distanciam a atenção ao que se propõe na disciplina.

Com aulas diversificadas que permitem a participação do aluno, saindo da rotina, propondo que ele possa criar e descobrir, pode despertá-lo para o prazer que é encontrar soluções de problemas. 

Objetivos
Geral


  • Proporcionar a proximidade entre a usabilidade matemática, os conteúdos teóricos e recursos tecnológicos com software livre.

Específicos 


  • Identificar, em atividades realizadas em determinadas profissões, o uso da matemática; 
  • Transformar o que se lê nas situações problemas em linguagem matemática; 
  • Transformar a linguagem matemática em uma linguagem que permita explorar determinadas situações por meio de planilhas eletrônicas; 
  • Elaborar relatórios a respeito de uma situação original, que proponha soluções e novas situações problema. 

Metodologia 

Resolvendo problemas - Informática - Matemática

Serão necessárias algumas aulas para a execução da atividade. Antes de explicar como será desenvolvida a atividade, os alunos devem ser provocados a dizer o que sabem das profissões escolhidas. Para esta parte da atividade destinar aproximadamente 30 minutos. É uma parte importante, pois ela servirá de incentivo aos próximos passos.

Dividir a turma em 4 grupos e sortear ou eles escolhem cada grupo uma das profissões. Feito isso, os alunos receberão uma situação hipotética a respeito de cada profissão, nesta situação haverá questionamentos que os fará procurar por mais informações (pesquisa ou entrevista). Pedir que cada grupo leia a sua situação e que depois apresentem aos colegas, já indicando o que sabem a respeito e o que deverão procurar se informar. 
A parte de busca de informações será realizada em contra turno, no laboratório da escola, com auxílio do professor ou em campo com entrevistas a pessoas ligadas a cada profissão. 
Os alunos serão levados, numa próxima aula, ao laboratório de informática em que poderão utilizar a Web e o BrOffice[1] (Writer - editor de texto, Calc - planilha eletrônica, Impress - apresentações, Math - editor de fórmulas). 
O professor mostrará alguns exemplos em uma outra situação problema, do mínimo pedido como resultado das atividades; mostrará então as interpretações realizadas, as fórmulas elaboradas, a transcrição destas fórmulas no Calc e no Math, possíveis variantes na situação, gráficos, planilha, e outros. Serão destinadas duas aulas ao exemplo, os próprios alunos poderão interferir e propor novas alternativas à situação apresentada.

As ferramentas que deverão ser mais exploradas são o Calc e o Math, os alunos deverão apresentar um relatório final a respeito da produção matemática de cada grupo, dispondo suas interpretações da situação e principalmente, uma planilha que descreva algumas das ações realizadas na profissão escolhida.

Perceba que se quer explorar três linguagens diferentes que relacionam uma mesma situação: a) a interpretação da língua portuguesa para b) o entendimento da situação problema (fórmulas) e c) a transcrição de fórmulas na linguagem matemática para uma “linguagem computacional”.

Os alunos devem perceber que ao realizar este processo, têm uma demanda de tempo, mas que isso se compensa por agilizar alguns processos desenvolvidos nestas profissões, conforme destaca Amanda Polato: 
“(...) saber usar calculadoras e conhecer os princípios básicos de planilhas eletrônicas do tipo Excel são hoje demandas sociais. Você deve introduzir esses recursos nas aulas - mas com o cuidado de pontuar que eles não fazem mágica alguma. Ao contrário, sua utilidade se aplica apenas a situações específicas. "O professor deve mostrar que eles são importantes para poupar tempo de operações demoradas, como cálculos e construções de gráficos, quando o que importa é levantar as ideias mais relevantes sobre como resolver a questão", defende Ivone Domingues, coordenadora pedagógica da Escola da Vila”. 
Os alunos estarão a todo tempo sendo orientados no uso das ferramentas, no entendimento das situações problemas, na transcrição destas fórmulas para a linguagem matemática e é esperada a mostra de alguma produção independente de cada grupo, no momento das apresentações.

Assim que o professor perceba que os alunos estão compreendendo o que é pedido nas aulas, e que eles comecem a criar por conta própria, será indicada mais uma aula para organizar uma apresentação (o modo é livre a cada grupo) dos resultados.

Cada grupo deverá resumir em no máximo 15 minutos, tudo o que criou, baseando-se principalmente nos resultados, dispensando explicações a respeito da situação que já fora discutida antes.

O professor retorna e propõe a cada grupo um novo questionamento, dependendo do que os alunos apresentaram, comentando sobre como se desenvolveu a atividade, se os objetivos foram ou não alcançados, fechando a atividade com a retomada de explicação de cada um dos conteúdos pretendidos.

Como novas propostas para a turma, que teve a oportunidade de se ambientar neste modo de organizar as aulas, podem ser exploradas mais ferramentas e softwares e outros conteúdos. É bom sempre lembrar que precisamos enfatizar o uso destes recursos para além do visual, é preciso contextualizar, haver intenção de uso no explorar, no criar. 

Período 

A aplicação da atividade não tem uma quantia exata de aulas, mas acredita-se que num período de 5 a 7 aulas seja possível realizar todos os passos.

Recursos
Físicos

Sala de aula, laboratório de informática, pesquisa de campo. 

Financeiros

Toda a atividade será desenvolvida com recursos que os alunos já tenham ou que a escola disponibiliza. Não haverá gasto financeiro.

Materiais

Cartolinas, disponibilidade de mídias (computadores, web, data-show, quadro-giz, cartolinas, pinceis).

Referências bibliográficas

NOVA ESCOLA. Ferramentas Tecnológicas nas Aulas de Matemática. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/matematica/pratica-pedagogica/ferramentas-tecnologicas-aulas-matematica-476002.shtml, acesso em 07 jul. 2012.
Manuais a respeito do BrOffice disponíveis em: http://www.silviobonilha.com.br/cursos/broffice/index_ broffice.html, acesso em 07 jul. 2012.


Charles Bastos

Comente este artigo:

0 comentários:

Os comentários neste blog são moderados pelo autor. Leia sobre a política de comentários.