Artigos recentes

Navigation

Que tal usar um pouco mais de Língua Portuguesa em Matemática?

Sugestão de aula com atividades e situações que propõem maior compreensão da linguagem matemática através da Língua Portuguesa.
língua portuguesa e a matemática estão presentes em praticamente todo o ensino básico (Brasil) e elas precisam ser pensadas com maior proximidade dentro de seus currículos, principalmente da língua portuguesa para com a matemática. Esta postagem, apresenta sugestões de aula diferentes das anteriores, pois não se presta a indicar um conteúdo ou uma atividade, mas atitudes que podem contribuir para melhorar a aprendizagem em Matemática.

Precisamos cada vez mais aliar os conhecimentos, eles não podem ser dissociados; de algum modo eles são dependentes. A Matemática tem muito de leitura, de análise, de interpretação, de lógica; ela necessita da língua e de linguagens. No nosso caso, o Português é muito importante para o entendimento de conceitos e situações-problemas.


A Importância da Leitura e da Escrita na Matemática


Na escola as primeiras atividades promovidas são no sentido de promover a comunicação. O entendimento sobre o mundo depende de algum modo da comunicação, uma forma de comunicação se dá no significar dos símbolos. A leitura é uma forma de organizar e interpretar os símbolos os associando aos objetos, aos fatos, aos sentimentos, a tudo que nos cerca.

Temos perpetuado muito conhecimento. Incontáveis acontecimentos fazem com que parte desse conhecimento seja perdido, ao passo que outros acontecimentos permitem a produção de novos conhecimentos. A leitura está na base do ensino e da aprendizagem; ela é imprescindível. Aprendemos a ler por meio de diversas práticas e de diferentes modos, de acordo com nossas limitações físicas e intelectuais; mas qualquer que seja a forma, a leitura nos liberta.

Que tal usar um pouco mais de Língua Portuguesa em Matemática?

A leitura é o princípio para a interpretação, para a análise, para a investigação, para suposições e afirmações. Com atenção e dedicação à leitura podemos, por exemplo, deixar de ver a Matemática como um "bicho de 7 cabeças", pois ao contrário do que imaginam a matemática é mais prática e mais símbolos alfabéticos e formas que números e operações que ao princípio parecem não aplicáveis. Com a leitura em matemática podemos:

  • desmistificar entendimentos de que a Matemática é complicada e muito dela não é aplicável;
  • compreender, analisar e interpretar conceitos e situações-problemas;
  • expressar e representar corretamente a linguagem utilizada em Matemática, expressa na nossa e em outras línguas;
  • libertar-se de ocorrências errôneas de ensino e de aprendizagem perpetuadas, por interpretações incompletas ou restringidas por professores ou pela própria deficiência na leitura;
  • deter autonomia de estudo e poder colaborar no ensino e aprendizagem de outros;
  • propor novas práticas, novos conceitos, novos estudos;


Toda Ciência possui uma linguagem própria, compreender bem essa linguagem é um enorme passo para começar a aprender determinada Ciência, é ela que poderá facilitar ou impedir a comunicação. Então é sempre bom propor atividades que possam unir a "língua materna" ao que se propõe em Matemática; não estamos falando do professor de Matemática lecionar ou ensinar Língua Portuguesa, mas de enfatizar a importância da leitura, do entendimento da linguagem matemática.

Só se aprende Matemática e Português nesse contato íntimo com a escrita, tenha ela o suporte material que tiver (Pombo, Apud Rui Marques, 2008).

A escrita precisa ser mais cobrada, no sentido, por exemplo, de se explicar melhor o raciocínio ou o algoritmo utilizado na resolução de um problema. Compreender e utilizar bem a simbologia matemática, é importante para a melhor aprendizagem da matemática, afinal temos um conjunto de ferramentas (linguagem matemática) que nos são disponibilizadas para significar, representar, expressar, quantificar, qualificar praticamente tudo a nossa volta; e pra isso, é preciso saber quando e como utilizar estas ferramentas. 


Sugestões de Aulas


Trabalhe as linguagens e o Português em aulas de Matemática propondo que os alunos procurem realizar leituras sobre a história da Matemática, sobre conceitos e sobre as inúmeras situações-problemas que lhes são propostas. Oportunizem aulas aos alunos com momentos em que eles:

  • Possam ler e interpretar situações-problemas (eles se acostumam tanto a colherem os números das situações e procurarem por meio de alguma operação resolvê-los e na maioria das vezes não é isto o mais importante);
  • Procurem dividir as situações-problemas em fatos menores e organizá-los de modo a poderem compreender o que está ocorrendo e o que esta sendo pedido (formular esquemas, desenhos, procurar encontrar padrões, valorizar as informações que são repassadas);
  • Criem e apresentem situações-problemas e que sejam apontadas possíveis falhas ou interpretações nestas situações (repassar ao aluno o enfoque na investigação, na interpretação, no se posicionar na situação podendo ocorrer e no que de fato poderá resultar);
  • Resolvam exercícios para além das sequências de cálculos (representação simbólica matemática de quantidade), mas apresentando raciocínio lógico escrito (por extenso) e explicado por frases que utilizam as informações das situações-problemas, deixando claro o raciocínio matemático (linguagem matemática) utilizado;


Pesquisando sobre o assunto, encontrei três referências relevantes sobre a leitura e a escrita para a Matemática que cabem recomendar: 

  1. A exploração da leitura, escrita e oralidade em matemática (Bernadete Hoffman, Vânia Santos-Wagner) - Relato de experiências/Artigo;
  2. Linguagem matemática e Língua Portuguesa: diálogo necessário na resolução de problemas matemáticos (Edi Lorensatti) - Artigo;
  3. Práticas de Leitura e Escrita nas Aulas de Matemática: contribuições para uma abordagem da matemática no ensino fundamental à luz da teoria da aprendizagem situada (Oziel de Souza) - Projeto de Mestrado;



Acompanhe o TIC na Matemática no Facebook e assine nosso feed e não perca nenhuma das atualizações!


As opiniões aqui informadas não são fundamentos de vasto estudo ou de análise campo, são ideias a respeito de observações durante períodos de ensino e de aprendizagem em Matemática e em outras áreas. Elas não pretendem ser verdade absoluta, apenas apresentam uma possibilidade a respeito da temática discutida.

Charles Bastos

Comente este artigo:

3 comentários:

  1. Caro Charles
    Parabéns pelo artigo. Sempre defenfi esta ideia de que para se aprender qualquer coisa primeiro precisamos conhecer bem a nossa língua e a melhor maneira é a leitura.
    Quando eu lecionava física e ia falar de unidades de medida dava para os alunos uma crônica do Sergio Porto (Medida,no espaço e no tempo) para introduzir o assunto e, as vezes, até fazia uma parceria com a professora de português. Eu tratava da física e ela dos aspectos da lingua.
    O probelma é que a maioria dos professores ficam engessados no currículo e aí alegam que vai atrasar o programa se ficaer tratando de temas transversais. Sempre achei que o conehcimento tem que vir antes do currículo.
    Abraços
    Paulo Brites

    ResponderExcluir
  2. Olá Charles,
    Parabéns pelo seu artigo. Concordo com tudo, se as crianças não sabem nem ler como vão responder e resolver qualquer problema matemático. Aí está o grande problema do Brasil, se conseguirmos ensinar português as crianças vão aprender matemática,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Adriana,

      Já não é mais raro o sentimento de frustração, fico repetitivo ao repassar determinado conteúdo de diversas formas e perceber que alguns deles não compreendem o mínimo daquilo. Ocorre que além do nível de aprendizagem que eles carregam ser fraco, existem outros entraves para agravar a situação: questões de comportamento, da própria política de educação, da cultura do fazer o mínimo pra ser aprovado(a) ou de nem fazer o mínimo.

      Obrigado por acompanhar o blog!

      Excluir