Artigos recentes

Navigation

Você utiliza o Facebook como uma ferramenta a mais para o ensino e a aprendizagem?

Relato de experiência no uso da rede social Facebook como ferramenta (TIC) que contribui para o ensino e aprendizagem.
Você já utilizou alguma rede social para qualquer finalidade de ensino ou de aprendizagem? Acompanhe nesta postagem algumas possibilidades de uso do Facebook como TIC na educação. É crescente o número de ambientes que disponibilizam ferramentas específicas para o ensino e para a aprendizagem, inclusive redes sociais (plataformas) próprias para possibilitar mais recursos à educação. Mas será que por exemplo, o Facebook, é um recurso que pode ser utilizado para a educação?

Alguns destes ambientes já foram indicadas e citadas em outras postagens aqui no blog, a saber: Edusocial,  Tutora e vários outros blogs, sites e plataformas

Facebook, Rede Social (uma TIC a favor do ensino e da aprendizagem)

O uso do Facebook como uma TIC na educação


Em se tratando especificamente de redes sociais que não foram estruturadas voltadas para a educação, creio que o Facebook se destaca por conta do grande número de usuários e das possibilidades de ferramentas que ter e manter um grupo permite, por exemplo:
  • Compartilhar arquivos: textos, fotos, gráficos, links, perguntas, opiniões que reforçam o que já foi estudado;
  • Interagir de diferentes modos (informação direta, diálogo entre participantes, correspondência, mensagens ou chat, etc.);
  • Reforçar estudos realizados presencialmente (dúvidas, novidades, atualidades, etc.);
  • Direcionar e ampliar oportunidades de novos estudos e de busca de fontes de informação;
  • Reforçar comunicados ou cronograma de atividades;
  • Estar o ensino e a aprendizagem em um ambiente próximo de considerável parcela dos alunos; 

Mas ao mesmo tempo precisa ser uma prática não forçada e sem cobrança de frequência ou que credite alguma avaliação, já que não é um espaço pensado e aplicado diretamente para a educação presencial (que é o caso que cito) e que existem pessoas avessas ao uso de redes sociais ou por algum outro motivo se encontram distantes ou optam por não utilizar.

É preciso também pensar em como conduzir o uso da rede social, justamente diante dos alunos que por algum motivo não possuem perfil nesta rede, para que não estejamos o excluindo. Não cabe explorar exageradamente a rede social, de modo que incentive o aluno a estar cada vez mais presente na web. 
Não queira cobrar o que é feito na rede social em sala de aula; o que é feito no ambiente virtual é uma extensão do que já foi realizado em sala de aula e que por algum motivo não foi possível desenvolver mais a respeito. Digo isto, referenciando-me a alunos do ensino básico da modalidade presencial. O aluno pode até levantar questionamentos a respeito do que foi percebido na rede social e se oportuno o professor pode ampliar isto aos demais alunos e então isto ser aproveitado para o ensino, a aprendizagem e até mesmo a avaliação.

Seria então um meio de comunicação e de transmissão da informação controlado pelo sujeito professor e aberto (mas com regras de convivência) para todos os envolvidos no ensino e na aprendizagem em que este professor propõe o uso da rede social para oportunizar as possibilidades já citadas antes, mas sem caráter de instrumento avaliativo ou de uso necessário a todos os alunos.

As regras de convivência citadas, servirão de orientações básicas para um espaço criado para tratar de um determinado assunto ou de proximidades a respeito do grupo que se forma. Nestas regras indicamos o que pode ou não ser tratado no grupo, qual o tipo de linguagem permitido, quais as atribuições e possibilidades de uso de cada participante, entre outras.

Percebe-se que o Facebook necessita de muito controle para ser uma ferramenta educacional, e além destas características questões levantadas, ele acaba expondo a criança ou o adolescente ao mundo; as informações dos perfis são controladas por alguns órgãos e muitas delas visíveis a incontáveis pessoas conhecidas e desconhecidas. Incentivar o uso do Facebook na educação, pode incentivar o aluno a ter e manter um perfil, a conhecer um ambiente que pode não ser amigável, o expondo e trazendo algumas complicações. Seria bom pensar se é cabível o uso de tal rede social para finalidade educacional. Certamente precisamos alertá-los para os inúmeros problemas em se utilizar recursos da web.

Exemplos em que já utilizei o Facebook


Até então tenho dois exemplos de uso do Facebook em minhas práticas de ensino e de aprendizagem. Ambos funcionando basicamente como um AVEA (Ambiente virtual de ensino e aprendizagem, exemplo plataformas Moodle).

Um deles foi o uso em um projeto de especialização (INTEGRAMÍDIA), em que criamos um grupo para acompanhamento de uma equipe de alunos e professores que lidava com recursos tecnológicos de modo a promover novas práticas a outros professores e alunos, utilizando-os. Este grupo ainda existe, mas já não com a finalidade anterior, dado o findar do projeto. Sua finalidade inicial, era estruturar as etapas das atividades a serem desenvolvidas, estabelecendo período e responsabilidades ao membros da equipe, além de algumas outras informações e sugestões para novas atividades.

O outro exemplo é também de um grupo, que nomeio SALA X, e que já foi utilizado para algumas turmas de uma escola pública como forma de extensão ao que é discutido em sala de aula, em que eram disponibilizados conteúdos e informações referentes ao que era discutido em sala de aula (vídeos, artigos, imagens, gráficos, etc.) e que continua em uso com a mesma finalidade, mas agora por 4 turmas de ensino fundamental e 3 turmas de ensino médio de uma escola particular.

O interessante neste segundo exemplo é que mantenho um grupo para turmas diferentes e de diferentes disciplinas (física, química e matemática), havendo sempre uma indicação direta para quais alunos cada conteúdo que é disponibilizado mas aberto para que outros alunos do grupo possam visualizar e interagir.

Nos dois casos indicados, há sempre um aluno que não compreende ou compreende mas propositalmente acaba realizando comentários ou postando imagens e outros arquivos que não estão relacionados com os objetivos do uso da ferramenta (no caso, os grupos).


Importante


O uso de redes sociais, bem como várias outras TIC oportunizam ampliação do ensino e da aprendizagem, mas deve ser controlado e acompanhado por professores, pais e outros responsáveis, sempre procurando orientar as crianças e adolescentes quanto as armadilhas e outros descaminhos presentes nos incontáveis ambientes pela web.


Continue o assunto

1) MATTAR, João. Facebook em Educação. Artigo.

2) O site Universia disponibilizou artigo a respeito do uso do Facebook em que apresenta várias boas práticas: 100 maneiras de usar o Facebook em sala de aula.

3) O site Revistapontocom trata no artigo "Escola e redes sociais: combinação possível?" de exemplos das redes sociais e a escola. 

4) O canal da professora Ana Almeida apresenta vários vídeos em que alunos apresentam suas opiniões a respeito de como utilizaram o Facebook e outros recursos tecnológicos.

Charles Bastos

Comente este artigo:

4 comentários:

  1. Olá, Charles!

    Este é um ótimo tema para debate, não apenas o Facebook, como especificado neste post, mas no contexto das redes sociais.

    Particularmente a única ferramenta que uso é a criação de grupos no Facebook. Cada turma que leciono tenho um grupo fechado, onde gerencio diversas atividades que começam em sala de aula, e terminam em casa.

    Se aplicação for planejada, podemos obter bons resultados.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edigley!

      Sim, existem inúmeros outros ambientes na web que oferecem ferramentas para ampliar o ensino e a aprendizagem que ocorrem nas escolas (os AVEA - ambientes virtuais de ensino e aprendizagem, como cito na postagem).

      Também faço uso do Facebook apenas com os grupos fechados, como nos dois exemplos que indiquei e tomando alguns cuidados como os citados, para que não haja confusão pelos alunos, devido ao tipo de ambiente que estamos utilizando... E os retornos acabam surgindo, quase sempre alguma novidade que sugiro no grupo, acaba contribuindo para o desenvolvimento das aulas!

      Obrigado por partilhar suas experiências por aqui também!

      Até breve!

      Excluir
  2. Olá a todos!

    Sou Professor de História e venho pesquisando sobre o uso de tecnologias na educação. Esse artigo e os demais links são ótimas referências sobre estes assuntos.

    Por hora tenho direcionado pesquisas em torno do Edmodo, mas não o Facebook tem bons recursos para serem utilizados.

    É um reflexão, que precisa ser levada em conta vários fatores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo...

      Obrigado por sua presença aqui no site e pelo comentário!

      Excluir