Artigos recentes

Navigation

Depois de 2 anos estou de volta! O que mudou na Educação Pública?

O que me contaram sobre os dois últimos anos na Educação Pública
Depois de quase dois anos afastado da Educação Pública estou retornando na próxima semana. A minha ausência foi por ótimo motivo: consegui licença para estudo. Durante estes dois anos pouco acompanhei o panorama da Educação Pública no Brasil.

Em breve, poderei me inteirar de tudo; mas pelo que acompanho em algumas leituras, não existem novidades de melhora na qualidade. Vieram mais mudanças e algumas delas com resistência, sem consulta prévia, com objetivos não voltados para melhoria do ensino e da aprendizagem. Tivemos melhoria? Tivemos novas dificuldades? Houve debate? Os índices refletem a realidade?

Resolvi pontuar algumas informações gerais sobre de publicações que li.  A divulgação destes tópicos não implica minha opinião favorável ou de discordância sobre o conteúdo dos artigos, mas uma busca de enfatizar alguns fatos relevantes da Educação no Brasil, nestes últimos anos. Caso o leitor se interesse pelos temas, foram organizados alguns artigos, reportagens, notícias a respeito de cada tópico. Os links sugeridos podem contribuir para responder a questão: O que mudou na Educação Pública?

Depois de 2 anos estou de volta! O que mudou na Educação Pública?

O Brasil evolui na Educação! 2014 começava com alguns sinais de melhora nos índices da Educação no Brasil, 2015 confirmou a melhora nos índices.

Procura de reorganização do sistema de ensino no estado de São Paulo em que o governo recuou. Movimento de estudantes que culminou no recuo do governo de São Paulo quanto o projeto que previa reorganização do sistema de ensino do estado.

Cortes de investimento para inúmeros setores da Educação, slogan de prioridade do mandato da presidente: "Brasil, Pátria Educadora".

Aumentaram as discussões sobre o currículo escolar.

Professores de vários estados em greve.
O governo de Goiás pretende repassar as escolas estaduais para OSs (Organizações Sociais). Certo é que os professores tiveram cortes em salários, perderam titularidade (que foi incorporada como salário base), não se faz mais concurso (são inúmeros contratos temporários ganhando até menos que um salário mínimo) e aumento de encargos sendo devolvidos aos servidores. 

A evasão escolar continua sendo grande problema para a educação no Brasil.


Retrospectiva 2015: Educação



Charles Bastos

Comente este artigo:

4 comentários:

  1. Olá. Tudo bem, professor?
    Vejo que você é uma pessoa compromissada com a busca da melhoria no ensino do nosso país, e isso por si só já é uma grande qualidade sua. Nós que somos educadores tentamos a todo momento manter este otimismo, apesar dos problemas que enfrentamos, como por exemplo a falta de estrutura devido aos baixos investimentos na nossa área.
    O maior problema das escolas públicas está no Ensino Médio. Não estamos conseguindo preparar adequadamente os alunos nem para o mercado de trabalho e nem tampouco para os exames vestibulares. No meu ponto de vista, o que dificulta muito é a diversidade (ou falta) de objetivos dos alunos. Muitos não veem sentido naquilo que queremos ensinar a eles, principalmente na área específica de matemática. Eu tenho tido um pouco mais de sorte do que meus colegas matemáticos, pois consigo contextualizar a Física em diversos exemplos. A pergunta frequente dos alunos, mesmo que não seja feita verbalmente é: Para quê eu preciso aprender isso? De acordo com o projeto de vida de cada um, precisamos compreender que este é um questionamento muito pertinente, então assim eu penso que os alunos deveriam ser separados de acordo com o objetivo que eles têm. Este é o ponto mais difícil de ser resolvido. Como diversificar o currículo para satisfazer a todos? Precisamos parar com esta hipocrisia de tentar ficar justificando a eles que eles precisam saber muito bem determinados temas de Física e Matemática, caso contrário não conseguirão ter sucesso na vida. Eles sabem que isto não é verdade. De acordo com a carreira que pretendem seguir, poucas coisas básicas dos cálculos serão aproveitadas. Então volto à questão da diversidade de aspirações pessoais dentro de uma mesma sala de aula. O que tem ocorrido (e muito) é que aqueles poucos alunos que poderíamos preparar para uma faculdade de Física, Matemática, ou Engenharia, e que poderiam contribuir para o desenvolvimento de tecnologias nossas, são atrapalhados, e diria até contaminados por uma certa mediocridade dos colegas que não querem se dedicar a áreas de cálculos de jeito nenhum, por uma série de motivos, inclusive cognitivos, e que dormem ou atrapalham demais durante as explicações nas aulas. Por que não fazemos uma classe só de alunos com o objetivo e competência de passar no vestibular, e outras com matérias mais atrativas para aqueles que querem desenvolver apenas outras habilidades? E eu respondo: Porque isto exige investimento e coragem política. Neste sentido, as reestruturações que o governo de São Paulo tentou implementar poderiam até ter sido classificadas de corajosas, mas foram muito mal interpretadas e geraram muita desconfiança, pela suspeita de que isto não teria sido apenas mais uma forma disfarçada de tentar apenas conter gastos e diminuir ainda mais os investimentos em educação.
    Você, nesta volta às aulas, talvez não perceba muita coisa diferente, pois a estrutura do ensino parece engessada, também por disputas político-partidárias que dificultam ainda mais uma urgente e necessária melhora. O fato é que do jeito que está, não está nada bom, e o que é pior, não creio que uma mudança na forma de administrar seja a causa principal. É preciso mudar a cultura educacional do povo. E isto, meu caro, infelizmente ainda levará um bom tempo neste país.
    Não quero desanimá-lo neste seu retorno. Eu tento a todo instante não me deixar contaminar por um pessimismo excessivo de alguns colegas que parecem já ter jogado a toalha. O que tento fazer é tentar sempre melhorar a forma de ensinar Fisica com o que está ao meu alcance, tentando estimular os alunos para iniciarmos a mudança desejada.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jairo!

      Creio que você não esteja errado em seu ponto de vista. Acho interessante o que você aponta para o ensino médio, a situação dos estudantes no ensino fundamental é parecida. É preciso cuidar quanto à sua proposta (que não é ruim), a respeito de pensamentos sobre preconceito, discriminação; neste sentido, creio que caberia aos estudantes terem uma boa base de ensino e aprendizagem (contando muito com a família, que a cada dia quer participar menos destes processos, e ainda empurram a EDUCAÇÃO que deve ser deles para os professores - até mesmo entre nós há isso, como se fosse nossa atribuição) e posteriormente, terem capacidade de escolher o que seguir em seus estudos.

      É claro que para isso é preciso mais estrutura em outros setores também: saúde, segurança, economia, política,... Ou é, estamos longe de boa qualidade no ensino e na aprendizagem. Mas como você disse, não se pode desistir, não se pode acomodar.

      Obrigado por sua participação por aqui!

      Volte sempre.

      Excluir
  2. Parabéns pela postagem, Charles! Sempre muito pertinente!
    Estou iniciando com o http://matematicafacileaplicada.blogspot.com.br/.
    E pretendo realizar a construção de um Site com mais funcionalidades.
    Teria alguma dica de abordagem, de algo que vc ver que está faldo na Rede... De algo de qualidade que eu poderia expor?
    Um abraço! Conto com sua ajuda!
    Ewerton Santos
    Graduado em Administração
    Graduando em Matemática IFRN
    Mestrando em demografia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ewerton!

      Visitei seu blog hoje.

      Seria bom você realizar leituras a respeito de como criar um blog, verificar quais são seus objetivos ao manter o blog, acompanhar sites e blogs que aponta dicas e informações para blogueiros.

      Eu conto com ajuda de alguns colegas que conheci na web. Este formato atual do blog é uma colaboração do Prof. Edigley, inclusive ele fornece este serviço:PORTFÓLIO.

      É necessário sempre produzir algo novo e diferente, mas preocupe-se principalmente em produzir material de sua autoria e com qualidades que vão desde a escrita a observações específicas sobre como publicar.

      Não compreendi com o que você indicou por "vc ver que está faldo na Rede...", mas o que de qualidade você pode dispor em seu blog virá das suas leituras, de suas vivências, do que você gosta... Escolha algo em específico que possui maior afinidade e desenvolva artigos a respeito, procure sempre referenciar suas leituras e outros autores. E não desista, nosso público em algumas áreas não crescem tão rapidamente, vamos ganhando aos poucos, de acordo com os conteúdos que disponibilizamos!

      Obrigado por sua presença por aqui!

      Excluir