Artigos recentes

Navigation

Relatório: Entrevista com o vampiro

Relatório sobre o filme Entrevista com o vampiro.
O filme “Entrevista com o Vampiro”, revela-se como uma história de vampiros, mas com mais proximidade da realidade, sem muita fantasia. Louis narra o que sucedeu em sua vida antes e depois de tornar-se vampiro em uma entrevista.

Entrevista com o vampiro

Detalhe para a questão do registro. Registrar permite reviver, propor uma nova versão daquilo que se produziu, pois mudamos, mudam o meio, o outro e a visão de mundo que temos.

Atormentado com o que se sucede em sua vida, Louis quer a morte e ela lhe vem ao encontro. Torna-se vampiro por Lestat. Louis procura manter-se como antes de ser vampiro, já de início lastima sua condenação numa vida insuportável; tal estado foi algo temporário, ele não resiste e mata por sangue pela primeira vez, logo em seguida, se condena pelo que foi capaz de fazer e pela maldição que lhe caiu.

A personagem mostra-se como uma fera que não consegue se conter, algo como em Hulk. Sua criação humana está em constante embate com a face eterna de um vampiro. Em meio a isto, Lestat – aquele que dá a Louis a dádiva das trevas – procura influir-lhe que não seja apenas a face, mas de todo vampiro, que assuma a sua natureza.

Em Nova Orleans. Louis deixa-se levar, há parte de sua natureza e do próprio Lestat nisso, e pela primeira vez morde por sangue… Cláudia, uma garotinha que volta à vida por conta de Lestat. Cada um deles detém diferentes poderes, Lestat consegue transformar o humano em vampiro (Louis permanece por tempos em acomodação). Depois de longo tempo, Cláudia percebe que aquela vida de se prender num corpo de criança não era mais tão feliz como antes, e não poder crescer é sua maior angústia.

O dilema entre os dois, Louis e Lestat, retorna; de Cláudia um é culpado por tê-la matado e outro por trazê-la de volta à vida. Lestat afasta-se dos outros dois. Por conta dos sentimentos que acumula, ela degola Lestat, Louis percebe o monstro que se tornou a pequena e doce criança.

Ainda assim, Lestat – em semblantes de decomposição –, retorna. O trio retorna, mas Lestat tornou-se algo ainda pior e procura vingança, mas o fogo ateado por Louis, de algum modo, o liberta.

Louis e Cláudia se afugentam em um navio, numa viagem à Europa. Lá conhecem Armand e outros como eles (uma espécie de sociedade dos vampiros). De início procura por respostas das quais mais tarde percebe que não teria. Cláudia e Madeleine são mortas por um grupo de Armand… Madeleine cuidaria de Cláudia, agora que ela não via Louis com pai. Louis envolve-se por vingança, mostra a natureza de um vampiro. Um novo incêndio. Parte da sociedade dos vampiros queima tal como Lestat.

Findando-se por retornar aos Estados Unidos e continuar com a vida; de lá até o momento da entrevista, foram mais de 200 anos. Ah,… E Lestat ainda vive!

Alguns podem não apreciar algumas cenas de brutalidade, mas o filme permite-se ao questionamento. O mesmo tipo de questionamento que nos faz pensar em nossa origem. Aquele indagar dos comerciais do Canal Futura, claro que com visões não para a ciência, mas da existência, de encontrar uma razão para estarem ali em meio aos mortais… Que dádiva aquela, que condena um indivíduo a ser o mesmo fisicamente, a sobreviver aos outros, a conhecer épocas.

Percebe-se a fragilidade também presente entre estes seres. Os conflitos revelam a luta por não poderem seguir um ciclo, o ciclo da vida; algo que não lhes pertence. Isso é mais presente em Louis, que vive arrependendo-se do que para Lestat é de sua natureza.

Há que ressaltar ainda que entre Lestat e Louis há uma distinção no entendimento de serem vampiros. O primeiro crê em algo magnífico, o segundo uma condenação. É o que cada um tem do mundo, um olhar único. Nada nos parece idêntico, por mais que estejamos observando/vivendo o mesmo ao mesmo tempo.

Mas Louis muda. Nele há a presença de várias faces. Em sua vida é possível perceber a mudança, um novo estado de ser... O meio, o outro e suas inquietações se encarregam disto. Louis: –– “Sou um espírito em um corpo sobrenatural. Desapaixonado”.

Este relatório é parte de uma atividade do curso de Mídias na Educação. A imagem acima, foi retirada do ambiente Moodle, não foi informada sua origem.


Charles Bastos

Comente este artigo:

0 comentários:

Os comentários neste blog são moderados pelo autor. Leia sobre a política de comentários.